Editorial

  • José Querino Tavares Neto FANAP, UFG
Palavras-chave: Editorial

Resumo

EDITORIAL


A realidade acadêmica se constrói, sobretudo, da relação dialética do contraponto de ideias; sejam reativas ou reflexivas.

Evidentemente, falamos em reativas ou reflexivas num sentido estrito, qual seja, o espaço de uma revista se constituir de contrapontos e, mesmo, divergências de posições sobre temas, mas, jamais, a redução a oposições que não estão centradas na problematização.

Por isso, falamos aqui na naturalidade dessa concepção que se encaminha para um esforço de sermos menos reativos, porque isso implica muitas vezes na ausência de diálogo e por efeito, fundamentalismo teórico; e mais reflexivos, porque nisso reside a cientificidade e possibilidade de aproximações dialógais.

Aproximar, não significa em nenhum momento algum tipo de ausência de conflito e abstinência ao novo sem a crítica ao antigo ou estabelecido. Ao contrário, estamos falando da convivência de opiniões e o reconhecimento que a segurança acadêmica não está na ortodoxia nem na heterodoxia, mas, sobretudo, na zona de conforto do viés conflitivo que se erige na segurança do não definitivo e muito menos, o agora.

Nesse sentido, apresentamos mais uma edição da Revista Jurídica da FANAP, que, mantendo sua linha editorial sobre os grandes temas jurídicos, não foge em momento algum, às questões urgentes, inclusive, aquelas que não se coadunam diretamente com nossas convicções e projetos, sendo espaço designado ao saber centrado na diversidade e inovação.

Sem nenhum tipo de indução analítica, o leitor balize suas próprias conclusões, somente desejamos que o faça na retroalimentação do não dito, afinal, isso move a cientificidade.

Que a Ágora nos ilumine.

Boa leitura.

 

Dr. José Querino Tavares Neto
Editor-Chefe da Revista Jurídica da FANAP

Referências

Não há.
Publicado
2018-09-23